Notícias


Grupo RAR consolida crescimento em 2018
2019-06-18


O Grupo RAR registou, em 2018, um volume de negócios de 785 milhões de euros, um aumento de 3,6% face a 2017, com o EBITDA a situar-se nos 63 milhões de euros e o resultado líquido a atingir os 10 milhões de euros, conforme consta do seu Relatório & Contas, hoje distribuído.

Num ano em que a economia mundial deu sinais positivos, porém, com níveis crescentes de volatilidade - de que são exemplos a guerra comercial entre grandes blocos ou o Brexit - o desempenho do Grupo  manteve a tendência de melhoria da sua performance económica e financeira, patente no crescimento dos seus resultados.

As empresas do Grupo
Esta melhoria de desempenho do Grupo RAR foi sobretudo sustentada pelos negócios da Vitacress, da RAR Imobiliária e da Acembex (que registou um progresso considerável face aos anos anteriores), continuando a Colep a ser a empresa mais significativa do Grupo.

Colep
A Colep teve um ano com algumas oscilações, fruto de significativas reduções do nível de eficiência nas suas operações de contract manufacturing do segmento de Liquids & Creams, decorrentes do processo de transferência dos volumes produzidos na fábrica alemã de Zülpich, entretanto vendida, para a Colep Polónia e para a unidade de Bad Schmiedeberg (Alemanha). No segmento de Aerosol Filling, na Europa, verificou-se uma boa evolução das vendas, apesar de as operações não terem atingido os esperados níveis de eficiência.
A divisão de Packaging enfrentou um ano desafiante, fruto de uma concorrência agressiva de operadores do leste europeu do setor de aerossóis, mas beneficiando de uma conjuntura mais favorável no que respeita a embalagens para tintas e produtos alimentares. Na área de Healthcare completou-se o turnaround esperado, colocando a rendibilidade operacional em terreno positivo.

Vitacress
A Vitacress manteve a trajetória positiva - a culminar um ciclo de cinco anos de crescimento consecutivo de rendibilidade - com o EBITDA a crescer 9%, preservando a sua posição de liderança nos setores de ervas aromáticas frescas, no Reino Unido, e de saladas, em Portugal. Os investimentos feitos têm vindo a revelar os seus resultados, com impactos positivos na eficiência e qualidade. O reforço da parceria com o Grupo Gipmans, na Holanda, perspetiva um bom crescimento no segmento de ervas aromáticas frescas, na Europa Central.

RAR Imobiliária
Num contexto económico favorável, a RAR Imobiliária teve um desempenho bastante positivo, tendo vendido a maioria das frações que tinha em arrendamento. Iniciou a construção do projeto “Quinta do Paço Lumiar”, em Lisboa, tendo já comercializado, à data, cerca de 60% das suas moradias. Em Matosinhos, também deu os primeiros passos de pré-venda num novo projeto, junto ao “Edifício do Parque”, a prosseguir em 2019.

RAR Açúcar
A RAR Açúcar viveu um primeiro ano de pós-término das quotas bastante agitado, com os principais operadores europeus a provocarem uma forte depressão do preço do açúcar no mercado da União Europeia, consequência da baixa cotação no mercado mundial e geradora de perdas significativas para todos os intervenientes. Não tendo sido possível escapar a este contágio negativo, foram, no entanto, desenvolvidos vários trabalhos com consultores externos, com vista a otimizar ainda mais as operações, de modo a melhor posicionar a empresa num mercado que é bastante exigente.

Acembex
A Acembex foi, em 2018, o maior importador português de cereais e derivados, com uma quota de 22% num mercado de cerca de 4 milhões de toneladas. Procurou ainda expandir-se para outras geografias, nomeadamente em matérias-primas para pet food e cereais biológicos, setores em que tem vindo a aprofundar o seu conhecimento.

Para este ano, o Grupo RAR prevê que a Colep recupere os anteriores níveis de eficiência, graças aos vários projetos em curso e à libertação de valor que deles é esperada. Também na Vitacress, apesar das incertezas do Brexit, se espera um bom progresso, fruto do profundo trabalho levado a cabo nas operações e na qualidade, que se refletiu em crescimento contínuo, nos últimos cinco anos.

O Grupo RAR continuará a agir de forma ponderada e orientada para o longo prazo, num contexto mundial de enormes tensões e de grande volatilidade, mas em que as oportunidades estarão ao alcance de quem as souber aproveitar.